Um termo que vem sendo muito utilizado, principalmente na área de Marketing, é a geolocalização. Mas, afinal, o que é isto e qual a sua utilidade?
Vivemos em uma época em que as mudanças ocorrem constantemente e com a forma de interação não é diferente. Até o modo como as pessoas utilizam as redes sociais onlines, que é um assunto relativamente novo, já está mudando. Para os usuários das redes sociais, já não basta mais saber o que as pessoas de seu círculo de amizade estão dizendo a respeito de algo; agora eles querem saber, também, onde estas pessoas se encontram.
Percebendo essa nova necessidade do público, começaram a surgir diversas plataformas com o intuito de satisfazê-la; como, por exemplo, o Foursquare, que é um aplicativo gratuito, para celular, e que dá a possibilidade do usuário compartilhar sua localização, por meio do “check-in”. Hoje, este aplicativo já conta com mais de 15 milhões de usuários cadastrados.
Vendo o crescimento do mercado e para não perder espaço, o Twitter e o Facebook seguiram a tendência, criando, também, suas ferramentas de geolocalização. Porém, o que diferencia o Foursquare destes, é que ele, mais que um aplicativo de geolocalização, pode ser considerado um jogo, uma vez que gera, também, uma competição entre os usuários: o que der mais “check-in” em determinado lugar se torna “mayor”, uma espécie de prefeito do local.
Fora do Brasil o potencial dessas redes vem sendo muito explorado e, recentemente, algumas empresas daqui começaram a entrar nessa onda.  Porém, ainda estamos muito atrasados em relação a explorar tudo o que as ferramentas de geolocalização podem nos oferecer.
Grandes empresas já usam ações de mobile marketing para se comunicarem com seus consumidores, mas, muitas vezes essas ações não surtem o efeito esperado, pois a pessoa pode não desejar receber tal mensagem naquele momento e, simplesmente, ignorá-la. Com a geolocalização, as chances de atingir o consumidor aumentam consideravelmente, uma vez que, sabendo onde o consumidor está é possível falar diretamente com ele, no momento em que ele está mais receptivo para receber a mensagem, como por exemplo, quando ele estiver passando em frente a sua loja.
É com esta visão que surge o Visib, rede social brasileira, ainda  na versão beta, mas que já conta com o serviço de geolocalização, dando ao usuário a possibilidade de encontrar ofertas próximas de onde estiver.
Principalmente para os varejistas, usados da forma adequada, os aplicativos de geolocalização podem ser úteis no enriquecimento das experiências dos consumidores no PDV.
Como já dito, no Brasil o uso desses aplicativos ainda é muito novo, mas para manter seu negócio competitivo, vale à pena ficar de olho!
Por: Aline Mendes

 

http://riojob.com.br

 

Comentários