Assim como previu o relatório da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o comércio eletrônico brasileiro cresceu 26% neste ano, faturando R$ 16 bilhões. Esses dados são do 30º relatório WebShoppers, divulgado pela E­bit, empresa especializada em informações do comércio eletrônico. A surpresa foi que o aumento ocorreu apenas no primeiro semestre de 2014, e os dados da ABComm tinham a previsão de que o crescimento ocorresse até o final deste ano.

Como um número crescente de marcas brasileiras procurando se capitalizar sobre a riqueza emergente de uma economia em expansão, uma nova pesquisa da Mintel, empresa de pesquisa de mercado, revela que o e-­commerce brasileiro vem experimentando um crescimento impressionante. Na verdade, de acordo com um novo relatório sobre o setor de e-­commerce no Brasil, o mercado subiu de apenas R$ 14,8 bilhões em 2008 para R$ 51 bilhões em 2013, um crescimento de quase 250% em cinco anos.

Longe da Saturação

Há ainda mais uma boa notícia para o setor. A pesquisa da Mintel prevê um crescimento de 130% (entre 2013 e 2018), que quebra a barreira dos R$ 100 bilhões em 2017, com um valor total de R$ 102 bilhões, crescendo ainda mais, atingindo os R$ 115 bilhões em 2018. O mercado não está somente crescente, mas também longe da saturação. A pesquisa da Mintel revela que dois terços (67%) dos consumidores não comprou quaisquer produtos ou serviços online nos últimos 12 meses, e pouco mais de 9% tem apenas um produto ou serviço, com destaque para um forte potencial de crescimento.

“O crescimento econômico rápido, juntamente com a melhoria da acessibilidade à Internet, é benéfico para o mercado de e­commerce brasileiro. As receitas impressionantes são comparáveis aos setores mais maduros e tradicionais, como alimentos e bebidas e varejo de carro. Outros fatores, tais como a melhoria da flexibilidade de pagamento, intensidade nas redes sociais e uma forte cultura de consumo também estão ajudando a impulsionar o crescimento do e­-commerce no Brasil. As compras online estão permitindo que os consumidores brasileiros cheguem a produtos importados que de outra forma eles não teriam acesso. O crescimento atual pode ser sustentado por muitos anos, talvez até décadas, batendo no fato de que os brasileiros estão constantemente procurando maneiras de economizar tempo no estilo de vida cada vez mais agitado”, afirmou Victor Fraga, analista sênior de varejo da Mintel, no site da empresa.

O crescimento do e-­commerce tem aumentado também a concorrência. As empresas de vendas online estão cada vez mais competitivas, investindo pesado nas melhores maneiras de capturar os clientes na Internet. E a sua empresa, como tem trabalhado o e­commerce? A Comunicas é uma agência preocupada e focada na diferenciação de seus clientes. Buscamos sempre colocar nossos clientes em posição de destaque frente a dura concorrência na Internet. Se você tem uma loja virtual ou trabalha com algum produto na Internet, entre em contato conosco e saiba o que podemos fazer pelo sucesso do seu negócio.

Comentários