Não há nada de novo na informação de que o Facebook quer cada vez mais e mais tomar o espaço do YouTube no mercado de vídeo. Mas, agora, a rede social parece estar disposta a lutar por isso com mais intensidade, chegando a incentivar seus usuários a executar upload de vídeos na plataforma ao tentar compartilhar um link do rival.

A novidade parece ser mais uma experiência da empresa, uma vez que não aparece para todos os usuários da Internet. Destina-se a páginas de usuários que o Facebook considera como os principais produtores de conteúdo da rede e os mais propensos a influenciar compromissos e ações.

No aviso, o Facebook chama os criadores de conteúdo para pensar na possibilidade de subir os vídeos compartilhados dentro do próprio Facebook, onde eles terão acesso a uma gama mais completa de métricas. Além disso, relata que usuários da plataforma tendem a preferir vídeos nativos ao invés de vídeos compartilhados de outras redes, como do YouTube.

Esta última informação causou certa controvérsia, pois pode ser uma indicação de que, agora ou no futuro, o Facebook pode favorecer mensagens contendo vídeos publicados em sua própria rede, o que prejudica o âmbito de aplicações disponíveis em outras plataformas. O ambiente é da empresa e ela é o chefe lá, mas especialistas dizem que essa é uma maneira não ética de pensar no próprio produto em vez de no interesse dos usuários.

Como a preferência é sempre para os vídeos nativamente publicados no site, muitas páginas estão fazendo reupload de conteúdo protegido, como forma de maximizar o seu próprio alcance. O problema é que muitos desses vídeos são protegidos, e o Facebook não têm qualquer tipo de sistema de identificação de conteúdo com direitos autorais, pedindo os autores para fazer a identificação dos vídeos postados manualmente.

E você, o que acha dessa nova medida do Facebook? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários