Nesta semana, o Facebook anunciou oficialmente o lançamento de sua plataforma Messenger durante a sua conferência de desenvolvedores F8. Em sua essência, o novo serviço permite aos desenvolvedores adicionarem funcionalidades do Messenger a outros aplicativos.

“É uma nova plataforma que os desenvolvedores podem usar para criar aplicativos que ajudam as pessoas a se conectar”, disse o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, durante a abertura do F8.

Veja como a integração se parece:

Facebook lança oficialmente a sua plataforma do Messenger

 

Por que os desenvolvedores devem se preocupar?

Para desenvolvedores de aplicativos de terceiros, a integração com o Messenger oferece o potencial de chegar a alguns dos milhões de usuários do Facebook. Isso é possível porque o Facebook planeja promover aplicativos integrados dentro de sua própria loja de aplicativos.

Para o Facebook, a plataforma insere o serviço Messenger no vasto ecossistema de aplicativos iOS e Android, e também ajuda a tornar o Messenger mais competitivo com outras plataformas de mensagens, como WeChat e Line.

Essa é a segunda grande atualização do Messenger em pouco mais de uma semana. Na semana passada, o Facebook anunciou um sistema de pagamentos totalmente novo que permite os usuários enviar e receber dinheiro diretamente do sistema de mensagens stand-alone (autossuficiente).

Junto com o novo sistema de pagamentos, a loja de aplicativos Messenger oferece justificativa para o porquê de o Facebook forçar as pessoas no celular a usar um aplicativo autossuficiente de mensagens – em vez de enviar e receber mensagens diretamente através do app homônimo do Facebook.

Está cada vez mais claro que, com o tempo, o Facebook quer que o Messenger se torne uma plataforma mais sofisticada, com uma gama de opções de comércio eletrônico, como o Line, o WeChat e, até certo ponto, o Snapchat.

Continue ligado no blog da Comunicas e fique por dentro de outras notícias sobre as novidades do Facebook.

Comentários